Acerte no modelo da cuba

Confira três modelos para diferentes tipos de ambientes

Texto: Letícia de Almeida Alves

Acerte no modelo da cuba | <i>Crédito: Foto: Eder Bruscagin
Acerte no modelo da cuba | Crédito: Foto: Eder Bruscagin
Elas são encontradas em diversos formatos, cores e materiais. Mas cada uma é indicada para um tipo de ambiente e requer um projeto de instalação de acordo com a área disponível. Aprenda as diferenças e encontre a opção ideal para sua casa.

DE EMBUTIR: ESPAÇO NA BANCADA
Discretas, as cubas de embutir deixam a superfície livre, mas ocupam lugar no armário

O modelo da Deca foi colado com massa plástica sobre o recorte no tampo de cimento queimado (50 x 150 cm). (Foto: Maíra Acayaba)

As grandes aberturas do apartamento antigo em São Paulo possibilitaram a criação de uma ampla ala social durante a reforma, com direito a um lavabo confortável para receber os convidados do casal de moradores. A bancada, construída com generosos 50 cm de profundidade, emoldura com folga a pia oval de 37,5 x 48 cm e oferece área suficiente para acomodar a torneira de mesa (Izy, da Deca). “Para modelos de embutir, o misturador pode ser de parede ou de bancada, o importante é que haja uma distância de pelo menos 20 cm entre a bica e a borda da cuba”, orienta Mariane Takahashi Christovam, do escritório de arquitetura Zoom, que assina o ambiente. O conjunto, com armário de compensado (Visual Móbile), tem altura total de 83 cm – a medida-padrão para tampos em banheiros e lavabos varia entre 80 e 90 cm.

DE APOIO: IDEAL PARA LAVABOS
Em formatos diversos, as versões desse tipo dão charme extra a espaços pequenos

A pia de apoio alta requer uma bancada mais baixa. Neste exemplo, a altura entre a borda da louça (L68, da Deca) e o piso é de 90 cm. (Foto: Evelyn Müller)

Elaborado para se harmonizar com a decoração da sala de estar, este lavabo ganhou uma graciosa faixa de azulejos coloridos (Lurca), onde foi fixada uma torneira alongada de parede (Link, da Deca), opção ideal para servir cubas de apoio, assim como os modelos de mesa de bica alta. Por não ter tanta frequência de uso, o ambiente comporta a louça colocada diretamente sobre o móvel de folhas de freijó (50,5 x 89 cm, RG Marcenaria) com medidas confortáveis para a cuba de 37 x 50 cm. “Na instalação, deve-se prever uma folga entre a parede e a peça. Mas a vantagem dos modelos de apoio é que, em locais apertados, a bancada pode ser reduzida até o limite da base da cuba, permitindo ganhar mais alguns centímetros no espaço”, indica a arquiteta Fernanda Neiva, do escritório Galeria Arquitetos, que assina este projeto.


SEMIENCAIXE: PARA MÓVEIS ESTREITOS
Instaladas na parede, as cubas são inseridas no tampo e vão bem em banheiros e lavabos

De semiencaixe, as peças com misturadores de mesa (Zip, da Incepa) avançam 13,5 cm além da bancada de granito branco itaúnas. (Foto: Eder Bruscagin)

O jovem casal sonhava com uma pia para cada um, além de desejar ver a sua cor preferida no ambiente. Então, a arquiteta Barbara Dundes escolheu o revestimento turquesa (Decortiles) para uma das paredes, que aparece refletida no espelho, e duas cubas de semiencaixe (L830, 42 x 42 cm, da Deca). “Optei por estes modelos para que a profundidade do tampo, que tem 2 m de comprimento, pudesse ficar em 38 cm, deixando o visual mais leve”, explica ela sobre o móvel, com altura final de 80 cm. Versátil, a opção também é uma ótima pedida para locais em que a porta esbarraria em bancadas convencionais. A instalação, um pouco mais trabalhosa, exige grapas parafusadas na parede, massa plástica ou silicone antimofo e rejunte. “Se o produto possuir mesa para o misturador, ele deve ser de bica baixa”, ensina Barbara.

21/02/2017 - 19:00

Conecte-se

Revista Arquitetura e Construção
  • Revista A&C
Coleção CARAS