Abandonado desde os anos 80, parque gaúcho é revitalizado

Antiga estação ferroviária deu lugar a um espaço de lazer e encontro em Passo Fundo, no Rio Grande do Sul

Por redação

Área de 72 mil m² se transformou no Parque Gare, com lago natural, biblioteca e espaço para lazer | <i>Crédito: Pau Iglesias/Divulgação
Área de 72 mil m² se transformou no Parque Gare, com lago natural, biblioteca e espaço para lazer | Crédito: Pau Iglesias/Divulgação
Na década de 1980, a estação ferroviária de Passo Fundo, conhecida também por Gare, mudou de lugar. Na época, a prefeitura até cogitou transformar a área desativada em um parque, mas o projeto não foi para a frente. Foi assim que o espaço de 72 mil m² ficou esquecido. "A população passou a evitar o local, que ficou muito degradado", conta Ana Paula Wickert, secretária de planejamento do município. 

Foi uma nova proposta, feita e elaborada pelo escritório brasileiro da IDOM, empresa espanhola de arquitetura, que tirou o lugar do isolamento e o transformou no agora renovado Parque Gare. “É um lugar pensado para o convívio e a contemplação”, diz o arquiteto Pedro Paes Lira, coordenador da obra.


Após a reforma, o lago natural recebeu um deck e um pergolado com bancos, além de uma ponte metálica que conduz à biblioteca, suspensa por pilotis (Foto: Pau Iglesias/Divulgação)

O lançamento da área de lazer também mudou a realidade da Feira do Produtor. Reunindo pequenos agricultores, a feira acontecia há 30 anos em um ponto improvisado. Após a revitalização, o evento passou a ocupar um edifício novinho revestido de chapas metálicas na fachada e na cobertura.

Como fica à frente da principal avenida da cidade, o edifício da Feira do Produtor tirou partido do declive do lote para disfarçar sua altura. O desenho do galpão lembra o de uma locomotiva (Foto: Pau Iglesias/Divulgação)

24/12/2016 - 10:00

Conecte-se

Revista Arquitetura e Construção
  • Revista A&C
Coleção CARAS