Piso colorido é destaque do apartamento

Doses de turquesa, amarelo e rosa temperam o cinza eleito como carro-chefe desta reforma. Com ideias claras e a ajuda de uma arquiteta, o casal formado por uma advogada e um empresário conquistou o apartamento de seus sonhos

Por Cristiane Teixeira (texto) | Deborah Apsan (visual)

Projeto de Julliana Camargo | <i>Crédito: Evelyn Müller
Projeto de Julliana Camargo | Crédito: Evelyn Müller
“Foi nossa primeira reforma. E também a última”, diz Mariana Capela Lombardi Moreto. “É aquilo: demora mais e custa mais do que a gente espera.” Três anos após a obra, agora mãe de Valentina, a moça não mostra arrependimento pela aposta que ela e o marido, José Roberto Moreto Jr., fizeram ao trocar um apartamento compacto por este, mais antigo e com 120 m², em São Paulo. “Queríamos um imóvel destruído porque tínhamos a intenção de quebrar tudo e deixá-lo com a nossa cara.” Essencial era que a planta permitisse concretizar três desejos: um closet grande, um escritório e uma cozinha integrada à sala. Logo o casal percebeu ter em mãos o que almejava.

Interessados por decoração e arquitetura, porém leigos no assunto, os dois partiram em busca de quem os ajudasse e encontraram a arquiteta Julliana Camargo, indicada por duas amigas. No projeto, duas suítes pequenas converteram-se na principal, com direito a closet e banheiro generoso. O quartinho de empregada tornou-se um charmoso canto de trabalho voltado para a sala. E esta uniu-se à cozinha após a fixação de uma comprida viga metálica sob o teto e a derrubada da alvenaria divisória.

Os revestimentos entraram no radar assim que o espaço foi solucionado. Os clientes pediram ladrilhos hidráulicos para a cozinha, o que animou a arquiteta. “Eu e uma colega já pensávamos em desenhar uma linha de ladrilhos e aí desenvolvemos esse modelo para cá primeiro. O formato sextavado é retrô, enquanto a estampa é contemporânea.” A paginação soma peças lisas e decoradas tingidas de branco, turquesa e variações de cinza – este é o matiz de base do projeto e comparece de várias formas. No teto, tonaliza uma espécie de cimento queimado; na cozinha, está na ilha de concreto e nos armários de MDF com pintura do tipo gofrato; nos banheiros, exibe dois tons no piso de porcelanato e nas paredes de pastilhas. “Cinza e azul são cores frias, mas como existe o assoalho de madeira, a composição fica mais quente, equilibrada”, ensina Julliana. No lavabo, o tempero especial aparece no móvel cor-de-rosa, usado de maneira surpreendente como bancada da pia. E não faltam toques de amarelo para alegrar a mistura.

03/05/2016 - 20:00

Conecte-se

Revista Arquitetura e Construção
  • Revista A&C
Coleção CARAS