Velho imóvel dá lugar ao sobrado de três pisos e um jardim

Após demolição, nova morada foi concebida para oferecer plena interação com a natureza

Por Deborah Apsan (visual) e Renato Bianchi (texto) | Projeto Vasco Lopes Arquitetura

Adquirido por causa das árvores centenárias do entorno, o espaço se tornou uma residência com três pavimentos | <i>Crédito: Foto: Martín Gurfein
Adquirido por causa das árvores centenárias do entorno, o espaço se tornou uma residência com três pavimentos | Crédito: Foto: Martín Gurfein
Modesta, a casa térrea próxima ao Parque do Ibirapuera foi arrematada por um casal que vivia na região para ser transformada em uma morada completamente diferente. O projeto do escritório Vasco Lopes Arquitetura demoliu toda a construção original e ergueu no terreno de 417 m² uma residência com três pavimentos envolvida por uma rica vegetação.


A antiga casa, que era térrea, foi demolida e liberou o terreno para a construção (Crédito: Divulgação) 

A área social se integra ao abastado jardim que abraça o imóvel – o casal de moradores queria que o paisagismo operasse como extensão da folhagem do entorno. Para tanto, interior e exterior são separados por portas de correr de vidro incolor, ressaltando a experiência de atmosfera aberta e com o mínimo de interferência visual.

A casa
se divide em três pisos. No térreo, estão as salas e a ala de serviço. Elas são separadas por um paredão de pedra que começa na garagem e se estende até o estar, passando pelo hall de entrada, pelo canto da TV e terminando na cozinha. O piso superior, por sua vez, acolhe as suítes dos dois filhos pequenos e a do casal, cômodos conectados por uma elegante e iluminada passarela. Por último, no ponto mais alto, a cobertura abriga um terraço com escritório, sauna e até um solário posicionado na altura da copa das árvores centenárias vizinhas do lote. “Compramos o lugar por causa delas”, revela a proprietária, ceramista.


Na nova residência, a estrutura metálica que apoia a laje de concreto da varanda contribui para o diálogo entre interior e exterior. Original do terreno, a pitangueira sombreia a suíte do casal (Crédito:
Martín Gurfein)


27/12/2016 - 14:00

Conecte-se

Revista Arquitetura e Construção
  • Revista A&C
Coleção CARAS